A geração que cansou de tentar

Um dos filmes que eu mais curti ano passado foi “A Arte de Ser Adulto”, estrelado por Pete Davidson, obra que traça um interessante paralelo com esse “Amizade Adolescente”, protagonizado pelo mesmo ator. Ele, novamente, personifica esse jovem adulto sem perspectivas sobre o futuro, estagnado no vazio que construiu para si. Também narrado com muito humor, o longa é agridoce ao olhar para a juventude com doçura, mas sem apagar esse sentimento triste que permeia por toda a obra.

Mo (Griffin Gluck) é um jovem de 16 anos que, em uma fase de amadurecimento e de tentar encontrar seu lugar no mundo, passa a seguir os exemplos de Zeke (Davidson), oito anos mais velho, pois o enxerga como um cara descolado, mesmo que ele seja apenas irresponsável e autodestrutivo. O filme nos leva a conhecer essa divertida conexão que nasce entre os dois, que vindos de universos tão distantes, se entendem.

O grande lance de “Amizade Adolelescente” é dessa união que nasce de uma necessidade de “fazer parte”. Enquanto Mo se sente descolado por andar com os mais velhos e ter experiências que os outros de sua idade não possuem, Zeke encontra nesta parceria uma chance de reviver seus anos de glória, enquanto era alguém pelos corredores de uma escola, mas que foi diminuído pelo mundo real. Mo é a última pessoa a achá-lo especial e ele abraça isso. São duas linhas que caminham paralelas mas que uma hora ou outra precisam se romper. Esta é a beleza da obra. O protagonista parece sugar todo o aprendizado naquela agitação proporcionada por seu mentor, buscando uma identidade que não é sua. Ele o vê como um Deus e essa idealização vai sendo gradativamente destruída assim que vai atingindo maturidade e coragem de seguir o próprio caminho. A última cena sintetiza brilhantemente tudo isso. São duas gerações diferentes, uma que quer abraçar as oportunidades e a outra que cansou de tentar.

Estreia na direção e roteiro de Jason Orley, ele entrega um filme sutilmente sentimental e incrivelmente adorável de se assistir. A trama flui de forma prazerosa e convidativa, entregando humor, mas sem diminuir o peso de sua bela trama e dessas reflexões que nos deixa.

NOTA: 8,5

País de origem: EUA
Ano: 2019

Título original: Big Time Adolescence
Disponível: Telecine Play
Duração: 90 minutos
Diretor: Jason Orley
Roteiro: Jason Orley
Elenco: Pete Davidson, Griffin Gluck
, Sydney Sweeney, Oona Laurence

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s