A lista com os melhores da década continua aqui no site! Resolvi comentar sobre as comédias que se destacaram nesses últimos anos, citando aquelas que não, necessariamente, foram as mais engraçadas, mas aquelas que, através do bom-humor, trouxeram uma boa ideia, divertiram e acertaram, seja no roteiro, na construção dos personagens, seja na escalação correta do elenco. É difícil olhar para 10 anos e definir quais entregaram o melhor resultado, por isso espero ter feito uma boa seleção. Caso lembrem de outros títulos que mereciam estar aqui, deixem nos comentários.

Com vocês, os melhores filmes de comédia desta década, relembrando produções que foram lançadas entre 2010 a 2019.

20. Os Estagiários
2013 | Shawn Levy

“Os Estagiários” trouxe um pouco daquele ar inocente das comédias dos anos 2000 (inclusive, na minha pesquisa, até me surpreendi que era dessa década). Até mesmo suas piadas soam antiquadas, quase como um filme que veio na época errada. A história é um tanto quanto absurda e rimos mesmo quando o roteiro não tem a intenção. Dois homens com problemas financeiros conseguem uma vaga de estágio na Google e durante toda a trama vamos acompanhando dois marmanjão lidando com modernidade, tecnologia e jovens descolados. É uma piada pronta e, por mais estranho que pareça, funciona bastante. A boa química entre os atores Owen Wilson e Vince Vaughn faz tudo valer ainda mais a pena.

19. Quero Matar Meu Chefe
2011 | Seth Gordon

Pegando carona no sucesso de “Se Beber Não Case” e aquela comédia com aventura de três caras “super legais” que se unem durante o caos, “Quero Matar Meu Chefe” diverte com seu trio enlouquecido de protagonistas. Jason Bateman, Jason Sudeikis e Charlie Day são hilários em cena e por mais horrível que seja a premissa – onde os três planejam literalmente matar seus respectivos chefes – torcemos para que tudo dê certo e embarcamos nessa jornada bizarra dos amigos. Muito bom poder ver Jennifer Aniston, Jamie Foxx e Colin Farrell em papéis bem diferentes do usual também.

18. Minha Mãe é Uma Peça
2012 | André Pellenz

Provavelmente o único acerto da comédia nacional nesta década, que errou a mão e entregou produções vergonhosas. “Minha Mãe é Uma Peça”, baseada na peça estrelada por Paulo Gustavo, entrega uma das personagens mais icônicas da comédia recente: a Dona Hermínia. O filme é um amontoado de situações hilárias que envolvem sua relação com os filhos e os inúmeros problemas que enfrenta por causa de sua família. É um texto divertido, redondo e que nos faz querer repetir vários diálogos em nossa mente assim que terminamos de assistir.

17. Não Vai Dar
2018 | Kay Cannon

Filme pouco comentado e que nem chegou a ir para os cinemas brasileiros, mas que, definitivamente, valeu e muito uma conferida. “Não Vai Dar” mostra a divertida jornada de três pais que se unem para impedir que suas filhas – amigas do colégio – percam a virgindade na esperada noite de formatura. Daquelas comédias que fluem gostoso, onde as tramas são bem desenvolvidas e os personagens são naturalmente engraçados. Ganha ainda mais pontos por entregar um final bem maduro, onde trata com respeito seus temas e os indivíduos ali em cena.

16. A Escolha Perfeita
2012 | Jason Moore

Aca-awesome! Apesar das sequências desnecessárias, a primeira parte da franquia valeu e muito a pena. Uma grata surpresa esse musical acapella estrelado por Anna Kendrick e Rebel Wilson, que mostra um grupo de garotas que se une para uma competição de música. Com um texto espontâneo, personagens adoráveis e ótimas referências de alguns clássicos juvenis do cinema, temos aqui um filme que, definitivamente, é uma escolha perfeita para qualquer final de semana. Muito mais do que uma excelente trilha musical, a obra diverte e empolga com sua trama muito bem conduzida.

15. Scott Pilgrim Contra o Mundo
2010 | Edgar Wright

Adaptação da aclamada HQ, “Scott Pilgrim” entregou um produto original, revigorante, cheio cores e movimento. A história do jovem deslocado (Michael Cera) que para conquistar o amor de Ramona Flowers (Mary Elizebeth Winstead), sua nova grande paixão, precisa lutar contra seus poderosos ex-namorados. Com uma história insanamente divertida, foi difícil não cair nas graças deste filme muito bem dirigido por Edgar Wright.

14. A Espiã Que Sabia de Menos
2015 | Paul Feig

Apesar da tradução bizarra, “A Espiã Que Sabia de Menos” traz uma Melissa McCarthy inspiradíssima e hilária na pele uma analista da CIA que se coloca na frente de uma missão secreta e extremamente perigosa. A ação funciona e nos mantêm presos em sua trama cheia de boas reviravoltas e saídas inteligentes, contando sempre com um texto divertido, bem-humorado e que nunca subestima seu público, mesmo sendo pastelão na maior parte do tempo. O elenco de coadjuvantes revela ótimos momentos como a fantástica Rose Byrne, Jude Law e uma surpreendente participação de Jason Statham.

13. Anjos da Lei
2012 | Phil Lord, Christopher Miller

Baseada em uma antiga série de TV, “Anjos da Lei” traz a excelente parceria entre Jonah Hill e Channing Tatum, além de revelar o talento de dois grandes nomes desta década: Phil Lord e Christopher Miller, envolvidos em séries como “How I Met Your Mother”, “Brooklyn Nine-Nine” e responsáveis pelos filmes “Uma Aventura Lego” e “Homem-Aranha no Aranhaverso”. O texto é bem divertido e conta a trajetória de dois policiais que voltam ao ambiente escolar como infiltrados para desvendar a fonte de uma nova e perigosa droga. Toda a situação é bem cômica, sendo impagável ver Jonah e Tatum como adolescentes, tentando se enturmar com os mais jovens.

12. Amizade Colorida
2011 | Will Gluck

Aquele humor sem pudores, espontâneo e delicioso de assistir. A química entre Mila Kunis e Justin Timberlake é hipnotizante e nos faz torcer pelo casal como poucas comédias românticas conseguiram. É divertido ver os dois em cena, jogando conversa fora, exatamente como duas pessoas que se gostam agem na vida real. A graça de “Amizade Colorida” é justamente brincar com os clichês do gênero e trazer uma nova roupagem, através de um texto leve, ousado e repleto de boas sacadas. A trama é sobre dois amigos que decidem acabar com a carência sexual que sentem, mantendo uma relação apenas com sexo e sem que isso afete a amizade entre eles. Obviamente, eles se apaixonam. O filme é tão bom e tão cativante que não ligamos para suas conveniências, apenas nos deixamos ser levados por seus bons personagens e pela naturalidade com que fala sobre temas tão tabus dentro do cinema.

11. Popstar: Sem Parar, Sem Limites
2016 | Jorma Taccone, Akiva Schaffer

“Popstar”, de longe, até parecia uma brincadeira bem produzida por Andy Samberg e seus amigos. Não deixa de ser, no entanto, é uma piada que deu tão certo que acabou por entregar uma das melhores comédias desta década. Para aqueles que curtem um humor nonsense, temos aqui um prato cheio e bem saboroso. Em formato de documentário, o filme narra a ascensão e declínio da carreira de um astro fictício do pop, Conner 4Real, que ganha vida pelo inspirado e carismático Samberg. Nessa divertida jornada, o longa consegue reunir os clichês que envolvem a indústria musical, desde os escândalos aos fracassos de vendas. O resultado é bem positivo e mesmo com seu humor politicamente incorreto, consegue ser extremamente agradável de se ver.

10. Amor a Toda Prova
2011 | John Requa, Glenn Ficarra

Um dos plot twists mais incríveis desta década! Nem só por isso “Amor a Toda Prova” é um grande filme. A obra consegue unir várias tramas de forma harmoniosa, onde cada personagem tem vida própria, começo, meio e fim. Tudo é muito bem construído e o roteiro consegue explorar, através de cada um deles, inúmeras formas de amor. É fofo, romântico, gostoso de assistir e diverte como uma boa comédia deve divertir. A ótima sintonia entre Ryan Gosling com Steve Carell e Emma Stone, faz a sessão valer ainda mais a pena.

09. Artista do Desastre
2017 | James Franco

“Artista do Desastre” é um filme insano, bizarro e completamente imprevisível. Foi uma bela surpresa para mim que esperava só mais uma comédia estrelada por James Franco e seus amigos. É nítido, sim, o quanto eles se divertiram fazendo isso. O lado bom é que, como consequência disso, nós nos divertimos ainda mais. O roteiro escrito pela dupla Scott Neustadter e Michael H.Weber – conhecidos por “500 Dias Com Ela” – é incrível, tanto pela introdução e desenvolvimento de cada personagem, como pela evolução da história, que flui muito bem por seus hilários minutos. James Franco surpreende e realiza um trabalho fantástico, tanto como ator como diretor, filmando os bastidores de um dos piores filmes da história de forma brilhante. Se trata de uma bela e divertida homenagem, que encontra humanidade e complexidade dentro daquilo que poderia ter sido uma simples piada.

08. Uma Aventura LEGO
2014 | Phil Lord, Christopher Miller

Dentre as animações lançadas nesta década, “Uma Aventura Lego” foi uma das mais adoráveis surpresas. O que, de início, parecia apenas uma boa jogada de marketing, logo nos deparamos com uma obra criativa e extremamente empolgante. E exatamente como a mente de uma criança, o roteiro possui uma imaginação fértil, onde nada necessita de alguma lógica para existir. É assim que descobrimos uma história original, que encanta por sua coragem, que diverte (e muito!) com o nonsense, que faz rir das coisas mais idiotas possíveis e que alcança, durante seus hilários minutos, um nível de inteligência raro para o gênero.

07. A Noite do Jogo
2018 | Jonathan Goldstein, John Francis Daley

Com um roteiro surpreendentemente bem escrito, a comédia brinca o tempo inteiro com o público, criando uma série de acontecimentos imprevisíveis e reviravoltas agradáveis. Aquele produto raro, que faz rir de situações inteligentes e que jamais subestima seu público. “A Noite do Jogo” foi uma grata surpresa quando surgiu aos cinemas em uma época onde a comédia se tornou um gênero tão raro. Na trama, acompanhamos um casal, interpretados pelos ótimos Jason Bateman e Rachel McAdams, que enquanto participavam de uma noite de jogos com alguns amigos, um sequestro repentino os fazem acreditar que tudo faz parte de uma brincadeira engenhosa, mesmo quando passam a ser perseguidos por criminosos. É assim que a obra oferece uma sequência de situações absurdas, insanamente engraçadas e muito bem elaboradas.

06. A Mentira
2010 | Will Gluck

Levemente inspirado em “A Letra Escarlate”, o filme conseguiu resgatar toda a nostalgia dos clássicos adolescentes da década de 80 em um roteiro ágil, esperto e incrivelmente bem-humorado. Naturalmente subestimamos filmes adolescentes e é ótimo quando encontramos um texto que nos prove o contrário. “A Mentira” brinca com os estereótipos dos colégios norte-americanos e traz uma trama original e cheia de ótimas sacadas, onde uma jovem, muito bem interpretada por Emma Stone, acaba se aproveitando de sua repentina fama de “vadia” para ajudar os excluídos. É bom, é inteligente e tudo o que não esperamos dele.

05. Família do Bagulho
2013 | Rawson Marshall Thurber

Por trás de uma tradução brasileira tosca, existe um ótimo filme de comédia. Quando quatro estranhos se unem, fingindo ser uma família, para buscar maconha no México, dá muito errado para eles, mas incrivelmente certo para o público. O resultado disso foi impagável e fomos surpreendidos com uma das obras mais engraçadas que tivemos nesses últimos anos. Jennifer Aniston, Jason Sudeikis, Emma Roberts e Will Poulter compõem esse elenco que ainda conta com participações hilárias de Kathryn Hahn e Nick Offerman. Alguns momentos são tão icônicos que ficamos reprisando em nossa mente para rir um pouco com seus absurdos.

04. Vizinhos
2014 | Nicholas Stoller

O grande acerto de “Vizinhos” foi, definitivamente, compreender a belíssima química existente entre Seth Rogen e Rose Byrne. É bom demais ver os dois atores em cena, que agem com espontaneidade e dão vida a um texto criativo, politicamente incorreto e inteligente. Foi bom, também, poder ver esse lado cômico de Zac Efron, que se sai muito bem. Na trama, um casal se muda para um bairro aparentemente tranquilo para cuidar da filha recém-nascida, no entanto, logo percebem que do lado vive um jovem líder de um grupo de estudantes hiperativos e amantes de boas festas e barulho. Todas as situações que o roteiro expõe para revelar essa batalha entre os pais e os adolescentes são divertidíssimas, exageradas e que tornam o filme uma das comédias mais interessantes que tivemos.

03. Fora de Série
2019 | Olivia Wilde

A última grande comédia que tivemos nesta década! Pouco antes de acabar, 2019 veio e nos presenteou com este filme fabuloso dirigido pela atriz Olivia Wilde, que debuta em uma obra original, revigorante e imensamente prazerosa de assistir. “Fora de Série” narra a jornada de duas melhores amigas, interpretadas pelas ótimas Kaitlyn Dever e Beanie Feldstein, que decidem aproveitar o último dia do Ensino Médio e correr atrás dos anos que passaram e não se divertiram como deveriam. É um belíssimo coming of age, que encanta por todas as saídas que encontra, que inova pela forma natural com que fala sobre adolescência e se destaca por romper com diversos estereótipos do gênero. Uma comédia inteligente, fantástica, que nasceu como um clássico.

02. O Que Fazemos nas Sombras
2014 | Jemaine Clement, Taika Waititi

Como vivem os vampiros nos dias de hoje? Este é o ponto inicial de “O Que Fazemos nas Sombras”, que pretende revelar, em um falso documentário, a vida de quatro amigos centenários que dividem a casa. Louça acumulada na pia, descobertas de casas noturnas, perfis em redes sociais e tudo o que pessoas normais enfrentam mas sempre com toque especial. É simplesmente hilário ver esses caras discutindo sobre convivência e refletindo sobre inadequações sociais. Para os amantes de séries como “The Office” e “Parks and Recreation” temos aqui um prato cheio. É inteligente, bem-humorado, bem conduzido e sempre surpreende positivamente pelos caminhos que segue. Acabou, ainda, por revelar o talento de Taika Waititi que hoje recebe o título de “diretor visionário”.

01. Missão Madrinha de Casamento
22011 | Paul Feig

Não tem absolutamente uma cena que tenha dado errado ou que não seja simplesmente hilária em “Missão Madrinha de Casamento”. Tem tanta coisa positiva junta em um único filme que desde que comecei a fazer esta lista, sabia muito bem qual seria meu primeiro lugar. O filme veio para dizer – em uma época em que as comédias estavam morrendo e as poucas (eram) protagonizadas por homens – que ainda é possível salvar o gênero quando se tem boas ideias, um roteiro que respeite seus personagens e saiba conduzir com inteligência sua trama. Além de ser extremamente engraçado, temos aqui uma aula de como se construir uma produto cômico. Na trama, uma mulher (Kristen Wiig) que, depois de vários fracassos pessoais, aceita ser madrinha de sua melhor amiga (Maya Rudolph), porém, claro, toda a jornada pré-casamento dá bem errado. É um texto divertido, audacioso e com uma protagonista muito bem construída, que ao mesmo tempo que nos faz rir de sua desgraça, nos faz torcer por suas vitórias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s