A assustadora mente humana

Vencedor do prêmio de Melhor Filme na Mostra “Um Certo Olhar” no Festival de Cannes de 2009 e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, “Dente Canino” marca o primeiro grande passo do cineasta grego Yorgos Lanthimos, que posteriormente realizou “O Lagosta” e “O Sacrifício do Cervo Sagrado”. Há uma linguagem muito similar entre suas obras, algo excêntrico que as une e, como consequência, o torna neste diretor singular, único, com forte assinatura. Seus temas são complexos e geram, dentro de suas estranhezas, muitas reflexão, além daquele já conhecido nó no cérebro.

O filme não nos oferece muitas respostas e ao seu decorrer, vamos tentando juntas suas partes para chegar a alguma conclusão, que nunca é muito clara. Vemos um pai que isola seus três filhos dentro de casa e não os permite sair, criando, desde que nasceram, a ilusão de que o universo existe apenas dentro daquele muro. É assustador ver esta realidade distorcida que é oferecido a esses jovens e como eles aceitam tudo como verdade. A omissão do mundo os torna em seres completamente despreparados e dependentes das histórias contadas pelos pais. As sequências são naturalmente perturbadoras, e mesmo que Yorgos saiba inserir humor de forma inteligente e inesperada, é impossível não sentir um constante soco na alma e uma vontade desesperadora de ver os personagens livres de tudo o que nos apresenta.

“Dente Canino” é um filme cru, seco, frio. Suas cenas são fortes e não recebem censura alguma. Yorgos não está disposto a nos privar de sua perversidade, ele nunca está. Da violência ao incesto, tudo causa um imenso desconforto, no entanto, nos traz um estranho prazer de vê-lo, porque nos instiga a permanecer, nos causa curiosidade de compreender seu universo e esta mitologia única que desenvolve ali. E mesmo com a teatralidade que o diretor posiciona e guia seus atores, tudo o que nos mostra é forte porque há uma interessante analogia a tudo o que vivemos, a história dos homens. A caverna de Platão de Yorgos Lanthimos nos faz pensar neste condicionamento humano, em como aceitamos uma cultura e o que julgamos o que é certo pelo aprendizado dado a nossos pais. Somos constantemente moldados pela sociedade, frutos de um conhecimento passado que se reproduz sem muitos questionamentos.

“Dente Canino” nos deixa atordoados ao fim, sufocados por tudo o que nos oferece e que mal conseguimos digerir. Yorgos Lanthimos é um cineasta raro e esta é a grande prova de que ele deve ser levado a sério.

NOTA: 9

  • País de origem: Grécia
    Ano: 2009
    Duração: 94 minutos
    Título original: Kynodontas / Dogtooth
    Distribuidor: –
    Diretor: Yorgos Lanthimos
    Roteiro: Yorgos Lanthimos, Efthymes Fillippou
    Elenco: Aggeliki Papoulia, Hristos Passalis, Mary Tsoni, Christos Stergioglou

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s