O ninho do homem

Que experiência boa é assistir “First Cow”. Fazia um tempo já que não via algo tão contemplativo e, ao mesmo tempo, tão adorável. Confesso que tinha baixas expectativas por simplesmente ter odiado “Certas Mulheres”, o trabalho anterior da diretora Kelly Reichardt. Por isso me encontro completamente surpreso com o que encontrei. Ela entrega um produto especial, digno de apreciação.

Brilhante em como a obra se inicia e se encerra. Ela fecha um ciclo e tudo o que vemos é uma jornada no qual já sabemos o fim, mas assistimos com extremo prazer e ternura. Reichardt, que também assina o roteiro, narra com carinho uma história de amizade em uma era de descobertas. Nos Estados Unidos de 1820, em um território pouco explorado, pessoas de diversos cantos do mundo tentam encontrar oportunidades ali. É assim que os caminhos de um cozinheiro (John Magaro) e um chinês fugitivo (Orion Lee) se encontram. De uma improvável parceria, nasce uma ambiciosa ideia de enriquecer, vendendo bolos fritos e usando como ingrediente principal, o leite roubado da primeira vaca a chegar na América.

É surpreendentemente divertido o caminhar dessa história. Vendo aqueles dois homens tentando vencer de um jeito que, nitidamente, dará errado em algum momento. Sem pretensão, a trama nos estampa um sorriso no rosto e nos encanta pela trajetória desses personagens. Não há julgamento moral sobre o que eles fazem por dinheiro e o roteiro, ao nos fazer criar uma empatia por eles, só nos faz vibrar para que tudo dê certo. O texto revela esse mundo já dominado pelo sistema e aqueles que tem pouco precisam criar algum jeito de sobreviver. É belo, então, esse contraste que nasce entre a humildade dos protagonistas e a violência e podridão que já assolou a terra. Há doçura no olhar e nas intenções dos dois, quase como se eles não pertencessem àquele lugar, fossem dignos de algo melhor. Ao menos é o que nós, enquanto público, torcemos.

A amizade é o ninho do homem, é sua casa, sua força. “First Cow” é um conto tocante sobre a parceria que nasce entre dois homens incomuns tentando vencer na vida. É simples, envolvente e cativante. A direção de Reichardt é um primor e ilustra essa trajetória com extremo cuidado, revelando uma obra contemplativa e lenta, que aprecia o tempo certo de cada ação. Essa lentidão, porém, pode afastar parte do público. Digo que se permitir viajar junto, será uma experiência única. Um filme feito de coração. Um filme imenso.

NOTA: 9,5

Ano: 2019
Disponível: Net Now
Duração: 121 minutos
Diretor: Kelly Reichardt
Roteiro: Kelly Reichardt
Elenco: John Magaro, Orion Lee, Toby Jones, Lily Gladstone

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s