Crítica | O Peso do Talento

Ideia boa, resultado nem tanto

A premissa de “O Peso do Talento” é, de fato, bastante intrigante. Colocar Nicolas Cage interpretando o próprio Nicolas Cage é de uma sacada um tanto quanto genial. Foram tantos projetos ruins que ele escolheu nos últimos anos, que ser ruim se tornou sua marca registrada. Com plena consciência sobre essa sua carreira questionável, ele encontra aqui o cenário ideal para rir de si mesmo. Temos, então, uma comédia que até diverte em alguns instantes, no entanto, deixa a sensação de que o roteiro sofre com o peso dessa genialidade, jamais alcançando o brilhantismo que poderia ter alcançado com tudo o que tinha em mãos.

Com dívidas a pagar e nenhuma perspectiva de encontrar um bom papel no cinema, o astro Nicolas Cage decide aceitar a bela oferta para participar do aniversário de um superfã em uma ilha luxuosa. Porém, as coisas acabam saindo de seu controle quando ele é recrutado pela CIA para desvendar um sequestro e outros perigos que rondam aquele local. O filme consegue tirar algumas boas piadas dessa inusitada situação, colocando o próprio Nicolas Cage a confrontar seus papéis do passado e a forjar uma atuação para descobrir os segredos de seu misterioso antagonista. A verdade é que, ao fim, o que há de melhor aqui é justamente essa troca entre o ator e Pedro Pascal. Ambos se divertem e, como consequência, se torna muito prazeroso vê-los em cena.

Entretanto, falta um roteiro mais cuidadoso e que soubesse brincar com a metalinguagem de forma mais ousada, não indo muito além dessa piada interna feita para os fãs do ator. É um texto que tem muita consciência sobre os rumos que toma, como quando assume que o plot de sequestro é só para engajar o público. Infelizmente, acaba abraçando demais isso, deixando a boa comédia de lado e focando nas perseguições, tiros, carros em alta velocidade e tudo aquilo que consagrou negativamente a carreira do astro. O último ato empobrece a obra imensamente, finalizando como uma produção genérica de ação. Tudo aquilo que “O Peso do Talento” não merecia ser lembrado. Poderia ser o grande momento do Nicolas Cage, mas é só mais um filme do Nicolas Cage.

NOTA: 6,5

País de origem: Estados Unidos
Ano: 2022
Titulo original: The Unbearable Weight of Massive Talent
Duração: 107 minutos
Disponível: Prime Video
Diretor: Tom Gormican
Roteiro: Tom Gormican, Kevin Etten
Elenco: Nicolas Cage, Pedro Pascal, Sharon Horgan, Lily Mo Sheen, Tiffany Haddish, Ike Barinholtz

Mulher-Maravilha 1984

Depois de tantas datas de lançamento, “Mulher-Maravilha 1984” finalmente ganhou vida. Com um tom leve e descompromissado, é aquela aventura que o 2020 conturbado precisava. A diretora Patty Jenkins retorna com a ousadia de entregar um produto distante do que os fãs esperam e distante do que os filmes de heróis costumam oferecer.

Aqui, os vilões não querem acabar com a raça humana e nada se resolve com destruições e guerras colossais. O roteiro se importa com os indivíduos que compõem esta jornada e o tempo que cada desdobramento necessita. É um filme que tem pausa, tem respiro, tem alívio. São elementos que se perderam ao longo do tempo e que se diferem do que o gênero tem nos acostumado. Sua trama é ingênua, remetendo as produções da década de 80 mesmo, com toda sua leveza e simplicidade. Existe carisma nos personagens, nos fazendo vibrar até mesmo pelos oponentes. Isso funciona, claro, pelo ótimo elenco também. Kristen Wiig é a grande surpresa e eu facilmente veria um filme só com ela.

Desde a estética, os efeitos visuais, a trilha sonora. É um conjunto de acertos que fazem “WW84” valer a pena. Derrapa, assim como quase todos os filmes da DC, nos embates finais. Além das cenas escuras, luzes que ofuscam tudo, somos obrigados a presenciar um longo e vergonhoso discurso da protagonista. O filme se encerra como um comercial de Natal, bonito mas bem forçado. Traz boas mensagens, mas decepciona por não estar à altura do que havia apresentado até então.

NOTA: 7,5

  • País de origem: EUA
    Ano: 2020
    Título Original: Wonder Woman 1984
    Duração: 151 minutos
    Diretor: Patty Jenkins
    Roteiro: Patty Jenkins, David Callaham, Geoff Johns
    Elenco: Gal Gadot, Kristen Wiig, Pedro Pascal, Chris Evans